Tag Archives: Brasil

IMPRIME E VAI!

24 jun

Dica para  pessoas práticas: um Tumblr cheio de ideias para seus cartazes nas manifestações que estão ocorrendo nessas terras  tupiniquins.

A receita é simples: IMPRIME E VAI!

Alguns modelos abaixo, os quais são ótimos para camisetas. Mais em:  http://imprimeevai.tumblr.com

12

4

 

3

5

7

Print89

1112

13

O “GIGANTE” acordou! E agora? Café-da-manhã?

21 jun
Temos a faca e o queijo na mão, mas parece que a faca não está muito afiada e o queijo, já adormecido, custa a permitir que sua dura casca seja violada.
“O gigante acordou!”, esta é uma das frases que mais se fez presente nas últimas manifestações, tanto nas redes sociais quanto nas ruas. No entanto, se realmente o bordão é verdadeiro, e felizmente acho que sim, a questão é: o que fará este gigante? Depois de uma bela noite de sono, acordará e tomará café da manhã? Lerá o jornal, acessará o facebook, irá trabalhar, estudar, irá para a academia ou sei lá o quê e, mais à frente, almoçará, jantará e voltará a dormir?
Li em algum lugar que, provavelmente, se alguém sugerisse que o Brasil, há algumas semanas, vivenciaria manifestações desta magnitude provavelmente receberia a pecha de lunático ou algo semelhante. Concordo. Ainda estamos atônitos com mais e mais pessoas tomando as ruas de todo o país e bradando por melhores condições de vida. Isso é ótimo, sem dúvida, mas o que faremos com tudo isso?
Pelo que vejo na grande mídia, o movimento é composto majoritariamente de estudantes, universitários e secundaristas, que se movem muito mais por uma vontade de estarem juntos do que, de fato, para promoverem alguma mudança substancial nas estruturas políticas e econômicas de nosso país. A fauna é abundante, mas prevalece um tipo de jovem que, ao menos na indumentária e genotipicamente, é o mesmo das baladas e micaretas, dos sertanejos, e dos shows de rock indie.
A maioria é branca, se veste muito bem, com as roupas da moda, e exibe sem problemas suas mais novas aquisições tecnológicas. Possuem um jeito “descolado”, caminham de forma descontraída e risonha, como se a manifestação fosse mais um evento qualquer, um grande show ou uma longa caminhada solidária promovida por alguma entidade beneficente.
Apesar de todas as críticas que possamos fazer a muitos destes movimentos, sabemos que a sua principal força de coesão sempre foi a vontade de mudar o status quo, com objetivos muito claros e, principalmente, estratégias de ação.
Não sinto isso nos protestos de hoje. Infelizmente, uma mistura de carnaval e de apolitização é o que prevalece. Faltam objetivos claros, faltam formas coerentes de ação, falta vontade e garra para mudar o sistema.
Temos a faca e o queijo na mão, mas parece que a faca não está muito afiada e o queijo, já adormecido, custa a permitir que sua dura casca seja violada.
Escrevo estas toscas linhas, reflexões baratas de alguém que volta para casa após um dia de caminhadas pela cidade sem limites (este é o slogan utilizado nos ônibus da cidade), com os ecos dos cânticos ufanistas ainda ribombando em meus ouvidos para conclamar a todos que acreditam em um projeto revolucionário para se juntarem.
Esquerda real, socialista, com projetos tanto de tomada quanto de estabelecimento de um novo poder, una-se e tome a frente deste movimento, apareça de fato e politize essa geração tão cheia de vontades e tão incapaz de apresentar qualquer coisa de concreto!
Não percamos o bonde da história, mostremos nossa força e utilizemos nossas melhores armas: a razão e a paixão!
Façamos com que as nossas bandeiras históricas, sempre pautadas pela melhoria da vida da grande massa oprimida, sejam as que tremulem.
Para não ficar no nível discursivo, proponho que os partidos da esquerda real convoquem seus militantes para promoverem reuniões em todo o país e criarem, imediatamente, uma agenda mínima em nível nacional, advinda das propostas colhidas nas bases!
A Revolução chegou, mas se não agirmos logo, ela irá embora…
Texto extraído da Central de Mídia Independente

Reflexão política.

21 jun

Agora que o “GIGANTE” acordou, mexa-se!

O protesto é uma ferramenta política que tem o seu valor, mas não acaba aí.

Você que se mobilizou para parar a cidade. Pode também se mobilizar para movimentar a cidade?

A democracia se dá nos movimentos sociais, procure as organizações que trabalham pelas causas que você acredite. Transporte, saúde, educação, cultura? Se não encontrar no seu bairro ou cidade, CRIE as organizações. MOVIMENTE-SE.

Cuidado com palavras de ordem. Cuidado com os heróis. Não se esqueça que, há menos de um século, uma nação se uniu e lutou pelas causas heroicas de um homem que iria salvar o país. Quase deu no III Reich.

Agora alguém bota uma máscara e define uma pauta com 5 prioridades. Uma multidão acredita nisso e as defende.

995819_589829351050685_556844640_n

PRESTE ATENÇÃO. Não se esconda atrás de uma máscara, e não espere alguém te dar uma pauta de “causas”.

Questione, leia, estude as consequências que virão das suas reivindicações.

Se algum “anônimo” agora falar  – fulano é um traidor!, a multidão vai se voltar contra essa pessoa? Não se iluda com fascismo mascarado. 

Acredito no trabalho. E fico feliz que tanta gente tenha despertado agora. O país está confiante nessas pessoas que resolveram lutar. Lute no seu bairro! Crie um centro comunitário, uma biblioteca, uma escola daquilo que vocês podem ensinar, crie aquilo que sua cidade ou bairro não tem. Fortaleça aquilo que existe e funciona. Questione as lideranças. E, se a sua administração local não cooperar, proteste até conseguir apoio. Depois volte ao trabalho!

Você que saiu do trabalho e marchou por horas, pode tirar um dia por semana para fazer um trabalho voluntário? Aí eu quero ver quem é que não foge à luta de verdade.

E, quando alguém te falar pra votar contra ou a favor de uma lei, leia atentamente o texto integral da mesma. Leia os argumentos contra e também os argumentos a favor. Por mais óbvio que pareça.

Fonte: Mídia Independente